VIVER É MAIS QUE SONHAR, E AMAR ESTÁ ALÉM DOS SONHOS!!! SEJAM BEM VINDOS!

domingo, 18 de maio de 2008

A ESTA HORA EXATAMENTE - Salmo da paz sonhada (Carlos Alberto Rodrigues Alves)








A esta hora exatamente,
Em que acordos de paz são incapazes de paz
Existe em algum canto um casebre distante
Uma pintura pobre, mas rica, que diz: Lar Feliz!

A esta hora exatamente
Em que imperadores insensíveis
Dizem que a guerra é santa
Existe, em algum lugar do planeta, um profeta
Que protesta na praça com povo.

A esta hora exatamente
Quando paira um presságio de pavor
Existe uma capela qualquer que se apressa
Na prece e pede: Venha o Teu Reino, Senhor!

A esta hora exatamente
Quando as estrelas atômicas profanam o céu do Senhor
Existe em alguma várzea poluída
Um menino que empina uma pipa, como a pomba da paz.

A esta hora exatamente
Em que sobe da terra o sangue das mulheres silenciadas
Existe uma velhinha que pinta em seu novo jardim
Uma, duas, três rosas com amor.

A esta hora exatemente
Em que o berro estridente e infernal exala o holocausto
Existe uma criança nascendo,
Trazendo e fazendo o futuro...

Senhor, "que os Teus pequenos sinais de vida
Enfraqueçam as grandes pretensões da morte"
E que possamos cantar sob mil bandeiras brancas
A paz... que traz... o bem... que vem...

VERDADE (Déa Villarinho)


A maior infelicidade humana, não seria a pobreza ou a incredulidade, mas a incapacidade dos nossos corações para amar.

DEIXA A PORTA ABERTA (Rose Mary Sadalla)

Se fechares a porta para mim
Todo o meu carinho e amor vão ficar de fora
E, não poderei dizer-te o quanto posso te amar
Se fechares a porta para mim
O vento não poderá nos cantar uma canção de amor e nos embriagar com a suavidade de sua brisa
Se fechares a porta para mim o aroma das Rosas não perfumarão nossos aposentos e deixaremos de sentir o perfume de nossos corpos exalando amor numa junção completa de embriaguês total.
E, então amor? venha! Deixe esta porta aberta
O amor quer entrar sem resisistências sem meandros.
Deixe que o vento nos encante e acarinhe nossos rostos
Deixe que o perfume das rosas nos embriague deste amor
Venha! me deixa estar dentro deste amor
Te amo! deixe esta porta aberta.

HOJE


Hoje, as mais lindas flores...
O mais aberto sorriso...
O mais carinhoso dos abraços...
Que a felicidade de mim transborde, inundando as pessoas a quem quero bem...
Pois que hoje, a felicidade me é maior que o corpo, que o mundo, a vida!!!
Não permita Deus que eu me torne o ser egoísta e insensível que só compartilha tristezas.

quinta-feira, 1 de maio de 2008

POR QUÊ? (Déa Villarinho)


Por que querer saber o porquê da minha vida
Se a vida tem perguntas nunca respondidas?
O porquê dos porquês é a triste realidade!
Por que sofrer, por que amar, por que perdoar, não ter vontade...
Por que perder, por que ganhar tão pouco ou nada receber
Depois de tanto ter sofrido, amado, doado, perdido...
Por quê?

Hoje as rugas do meu rosto confundem-se: idade ou sofrimento?
Não queiram saber neste momento o porquê dos porquês, pois eu não saberia responder!

A vida, a incógnita vida, é a resposta.
Eu nem sei se sou eu ou se sou apenas sofrer.
Não importa...
No meu perambular pelo mundo, confundo:
Olham para mim e enxergam alegria
Falsa harmonia entre o sorriso e o olhar...
Deixo transparecer um desejo de viver que só a vontade de morrer consegue ocultar.

Por que não encontro respostas se tudo é muito claro
Se a incrível transparência revela que é raro
Responder as razões de um viver obscuro
Que insiste em revelar-se, embora no escuro,
que tudo é nada e nada é tudo?

Jogo de palavras, simplesmente, ou certeza
Que o "tudo" repleto de "nadas"
é melhor que o "nada" inexplicável.
Inexorável!

Por que me perguntar se não entendo o que digo,
Se nem mesmo as palavras convivem comigo
No mais profundo do meu ser?
Há coisas belas, porém encobertas
Que nem mesmo a alma conseguiria ver.

E eu vou vivendo assim... morrendo...
De alegrias falsas,
de tristezas disfarçadas,
de vida mal vivida,
de saudades bem guardadas.

E continuarei na minha indagação
Magoando tanto o meu coração
Por não conseguir me responder
Por quê?

AMOR ASSIM (Elisa Lucinda)

Sempre quis um amor
que vivesse a felicidade
sem reclamar dela ou disso.
Sempre quis um amor não omisso
e que suas estórias me contasse.
Ah, eu sempre quis um amor que amasse
.