VIVER É MAIS QUE SONHAR, E AMAR ESTÁ ALÉM DOS SONHOS!!! SEJAM BEM VINDOS!

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

MINHA ALEGRIA É TRISTE (Pequenina)


Boa noite minha tristeza
Entre! Não batas na porta
Sente-se aqui ao meu lado
Só tu, só tu me confortas.
Converse comigo um pouco

Ajude-me a me conhecer
Me digas porque sou triste
Para que eu possa entender.
Minha amiga, inseparável

És meu pão, de cada dia
Sempre sincera, e amável
Nossa amizade é sadia.
Tu estás sempre presente

Na Alegria, e também na dor
Nas longas horas da vida
Nos belos versos de amor.
Presente estás em meus olhos

Em meu rosto, e até no sorrir
No toque de minhas mãos
Na voz, e até no ouvir.
No ar, do qual eu respiro

Na chuva que cai sem cessar
Nas noites de lua cheia
Nas belas ondas do mar.
Tristeza, dá-me o teu ombro

Sou parte deste teu mundo
Caminhamos lado, a lado
Vivemos, um amor profundo.




domingo, 28 de dezembro de 2008

TRISTEZA INFINITA (Cruz e Souza)


Anda em mim, soturnamente, uma tristeza ociosa,
sem objetivo, latente, vaga, indecisa, medrosa.

Como ave torva e sem rumo, ondula, vagueia, oscila
e sobe em nuvens de fumo e na minh'alma se asila.

Uma tristeza que eu, mudo, fico nela meditando
e meditando, por tudo e em toda a parte sonhando.

Tristeza de não sei donde, de não sei quando nem como...
flor mortal, que dentro esconde sementes de um mago pomo.

Dessas tristezas incertas, esparsas, indefinidas...
como almas vagas, desertas no rumo eterno das vidas.

Tristeza sem causa forte, diversa de outras tristezas,
nem da vida nem da morte gerada nas correntezas...

Tristeza de outros espaços, de outros céus, de outras esferas,
de outros límpidos abraços, de outras castas primaveras.

Dessas tristezas que vagam com volúpias tão sombrias
que as nossas almas alagam de estranhas melancolias.

Dessas tristezas sem fundo, sem origens prolongadas,
sem saudades deste mundo, sem noites, sem alvoradas.

Que principiam no sonho e acabam na Realidade,
através do mar tristonho desta absurda Imensidade.

Certa tristeza indizível, abstrata, como se fosse
a grande alma do Sensível magoada, mística, doce.

Ah! tristeza imponderável, abismo, mistério, aflito,
torturante, formidável... ah! tristeza do Infinito!

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

SENTIMENTO TRISTE...( Serena)


Saudades...
Sentimento triste?
Não...
Porque só sente saudades quem, um dia, amou algo ou alguém.
Sente saudades quem sorriu, foi feliz, viveu, chorou,
gritou, inebriando-se de amor.
Sente saudades quem se doou e, ofertando-se,
descobriu a verdadeira essência da vida.
Sente saudades quem, mesmo sofrendo,
continua a ser feliz, sentindo-se repleto de vida,
vitorioso que sabe ser na batalha aparentemente perdida.
Sente saudades quem tem um passado

e dele se recorda com carinho,
com olhos fitos no porvir,
na esperança do reencontro
destes momentos felizes
que ora o fazem sentir saudades...